Páginas

quarta-feira, 24 de julho de 2013

O DESAFIO

Após realizar uma campanha que primou pelo resgate do sentimento de amor a Ilhéus, alegando que a cidade estava abandonada em função da incompetência do ex-prefeito Newton Lima, Jabes Ribeiro iniciou a sua quarta gestão como chefe do executivo ilheense prometendo dar um salto na qualidade de vida do povo e solucionando as questões mais urgentes que afligiam a sociedade. Contudo, o que se viu foi a confissão, por parte do chefe do executivo, de que Ilhéus é uma cidade ingovernável. Onde está o tão propalado amor a Ilhéus?

Talvez tal sentimento esteja no coração de cada manifestante do Reúne Ilhéus que se encontra trancafiado no Paranaguá solicitando do poder público a divulgação de balancetes cruciais para o entendimento do funcionamento e do faturamento das empresas que exploram o transporte público no município e lutando por tarifas que se adequem á realidade econômica do município. A juventude ilheense, em sintonia com os movimentos nacionais, iniciou uma gama de ações que visa fomentar a transparência, a ética e a priorização da qualidade de vida dos ilheenses, realizando enfim o sonho de por fim ao fantasmagórico imobilismo fundamentado na letargia e na atuação maléfica dos carbonários canalhocratas e plutocratas que promovem a disartria da sociedade.

Ocorre respeito ao atual gestor do município e á sua equipe, mas é preciso que o governo compreenda o novo contexto político e cultural que emergiu das redes sociais para as ruas, redesenhando a geopolítica do mundo globalizado atual do qual Ilhéus faz parte e, por isso mesmo, não pode ignorar a nova direção dos ventos de mudança e oxigenação da democracia que tem soprado de forme hercúlea no seio da sociedade. A compreensão de tal fenômeno será o fator que determinará o triunfo ou o fracasso do atual governo.

Chico Andrade - Professor de História

Nenhum comentário:

Postar um comentário