Páginas

segunda-feira, 17 de junho de 2013

ITABUNA E ILHÉUS TIVERAM MAIS DE 330 HOMICÍDIOS


Dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública da Bahia (SSP/BA) confirmam o que os moradores perceberam nos bairros periféricos de Itabuna e Ilhéus durante o ano passado: a guerra entre traficantes causou a média de um assassinato a cada 48 horas.

Os números SSP/BA, aos quais A Região teve acesso na quinta-feira, 13, revelam que 2012 foi o ano mais violento da história. Em Itabuna foram 172 homicídios (doloso) e 179 tentativas na guerra sangrenta entre os criminosos dos raios A e B do Conjunto Penal.

Estão incluídos ainda os casos de roubo seguido de morte. No ano passado, houve aumento de 20 assassinatos em relação a 2011, quando ocorreram 154 mortes provocadas por armas de fogo ou branca. Foram 144 homicídios (doloso) e 10 roubos seguidos de mortes (latrocínio).

Em Ilhéus, não houve guerra declarada entre os criminosos, mas a realidade não foi deferente de Itabuna. No município aconteceram 148 assassinatos, contra 106 do ano anterior. No ano passado 14 vítimas de roubo foram executadas depois pelos bandidos.

A polícia ilheense contabilizou ainda 90 tentativas de morte. De acordo com a SSP, cerca de 90% das mortes em Itabuna e Ilhéus estão relacionadas com a guerra entre traficantes.

Jovens - Outra constatação é de que a maioria dos executados na guerra entre as gangues eram pessoas do sexo masculino com idade abaixo dos 40 anos. Muitos não completaram 18 anos nem concluíram o ensino médio.

Os dados oficiais mostram que no ano passado a violência avançou também em municípios menores, como Canavieiras, Itacaré e Uruçuca, que fazem parte da 7ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil de Ilhéus.

No município turístico de Itacaré, por exemplo, o número de assassinatos subiu de 8 para 18, um aumento de mais de 100%. Em Canavieiras, pulou de 8 para 13; em Uruçuca passou de 12 para 16.

Na área da 6ª Coorpin, além de Itabuna houve crescimento da violência em Barro Preto, Camacan e Buerarema. O crescimento de homicídios foi maior em Camacan, com 21 execuções no ano passado, contra duas em 2011. Houve 21 homicídios dolosos e um roubo seguido de morte.

Mais execuções - Em Buerarema, o número de mortes violentas passou de uma para 9. Em Barro Preto não houve registro de execuções em 2011, mas no ano passado foram 5. Almadina e Mascote foram os únicos municípios da 6ª Coorpin sem homicídio em 2012, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

O Mapa da Violência no sul da Bahia traz registros de execuções em Arataca (3), Coaraci (10), Floresta Azul (2), Ibicaraí (11), Itaju do Colônia (3), Itajuípe (12), Itapé (3), Itapitanga (2), Jussari (3), Pau Brasil (5), Santa Cruz da Vitória (1), Santa Luzia (6) e São José da Vitória (3).

No geral, na Coordenadoria da Polícia Civil em Itabuna, em 2012, foram registrados 273 assassinatos, dos quais 267 dolosos e seis roubos seguidos de morte. Nos municípios da Coordenadoria de Ilhéus foram 241 homicídios no ano passado.

Além de Ilhéus, Canavieiras, Itacaré e Uruçuca, foram registradas execuções nos municípios de Aurelino Leal (2), Gongogi (1), Ibirapitanga (2), Marau (3), Ubaitaba (4), Ubatã (5) e Una (11). 

Site O Tabuleiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário