Páginas

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A VIOLÊNCIA NO BRASIL

IBGE: Região Norte lidera sensação de insegurança no país

O Norte é a região brasileira com menores índices de sensação de segurança do país, onde mais de 50% das pessoas não se sentem seguras em suas cidades e quase 30% se dizem inseguras em seus próprios domicílios, segundo dados da Síntese de Indicadores Sociais 2012, divulgados nesta quarta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo aponta que os índices do Nordeste e Sudeste também estão abaixo da média nacional.

O IBGE utiliza dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad 2009) referentes ao tema Vitimização e Justiça para mostrar um retrato da população brasileira em 2012. Segundo a Pnad, mais de 20% das pessoas não se sentiam seguras em seus domicílios.

No país, 67,1% das pessoas sentiam-se seguram em seus bairros e 78,6% em seus domicílios. Segundo o estudo, “a sensação de segurança parece aumentar à medida que nos aproximamos das pessoas e ruas conhecidas, próximas aos domicílios”.

A sensação de segurança é maior nas áreas rurais do que nas urbanas, em todos os casos. Nas áreas rurais, diz o IBGE, o percentual de sensação de segurança no domicílio e no bairro é alto.

A Região Sul ultrapassou os 80% da população que se sente segura no próprio domicílio e é também a que mostrou os maiores resultados para os bairros (72,6%) e cidades (60,5%). O Piauí apresentou o maior percentual de sensação de segurança para os domicílios (85,4%) e os bairros (80,5%). Tocantins é onde as pessoas se sentem mais seguras em suas cidades (71,8%).

Na Região Norte, a sensação de segurança nas cidades está abaixo de 50%. Nordeste e Sudeste também apresentaram resultados inferiores à média nacional, de 52,8%. O Pará registrou os percentuais mais baixos nas três categorias: domicílios (64,8%), bairros (49%) e cidades (36,9%).

Na Pnad, a Região Norte registrou os maiores percentuais de pessoas de 10 anos ou mais de idade vítimas dos crimes de tentativa de roubo ou furto (7%) e de roubo (5,6%). Na Região Centro-Oeste, o crime de furto atingiu maior proporção (5,5%).

Ainda de acordo com a Pnad, a sensação de segurança é muito maior entre a população que se diz parda do que daquela que se diz negra. A maior diferença está na Região Norte, onde 71,6% da população parda diz se sentir segura em sua cidade, contra 4,9% da negra. No Sudeste, esses percentuais são, respectivamente, de 34,6% e 8%; e no Sul, de 17,6% e 3,5%

Jornal do Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário