Páginas

domingo, 5 de fevereiro de 2012

ENTREVISTA COM O GOVERNADOR JAQUES WAGNER

Vejam entrevista concedida pelo 
Governador ao site TERRA MAGAZINE:

Entre o início da tarde de quinta-feira (2) e a sexta-feira, Salvador viveu horas de barbárie. Homicídios, 55, em número maior do que já é o habitual, saques, PMs em greve a tomar ônibus e fechar ruas, PMs a exibir armas e intimidar a população. O governador da Bahia, Jaques Wagner, que no começo da crise estava fora do Brasil, em viagem a convite da presidente Dilma Rousseff, conversou com Terra Magazine na noite do sábado.

Pela manhã, 3 mil soldados do Exército e da Força Nacional já patrulhavam as ruas. Wagner, ladeado pelo Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e pelo general José Carlos de Nardi, Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, respondeu a perguntas numa entrevista coletiva e, em seguida, reuniu-se com militares e com o ministro na moradia oficial, o Palácio de Ondina.

No início da noite, por telefone, a conversa com Terra Magazine, instante em que o governador fez um desabafo:

- PM armado não pode fazer greve, e não serei refém de quem comete crimes...


A seguir, a conversa:

Terra Magazine - A pergunta é: por que o governo não negociou com os grevistas?

Jaques Wagner - Como é de conhecimento de todos, no início da semana eu estava numa viagem ao exterior a convite da presidente Dilma. Enquanto eu estava fora, se dá um fato que demonstra a má intenção embutida: uma parcela minoritária da PM faz uma assembleia, na véspera da greve, e no mesmo dia protocola uma pauta de reivindicações sem ter negociação alguma...

As negociações não vinham desde antes, já não tinham sido abertas?

Não tinha negociação, isso foi obviamente uma busca de demonstração de força para tentar pressionar o governador, e a má intenção está expressa logo no primeiro item da pauta: "Anistia geral e irrestrita para os grevistas"... Claro que não há hipótese de eu assinar essa anistia, uma vez que uma porção desses PMs se portou como criminosos. Quem inicia uma negociação pedindo anistia já sabe que vai cometer crimes... tomar ônibus e fechar ruas, exibir armas ostensivamente e ameaçar a população não são atitudes de policial, nem de grevista, isso é crime...

Bem, o senhor foi líder sindical, fez greves...

Fui líder sindical, mas jamais dilapidei patrimônio público, jamais aceitei esse tipo de atitude e quem me conhece sabe que sempre fui pelo diálogo, que sou um democrata...

Mas se coloca contra essa greve dos PMs...

Não dá pra conviver com força policial que ameaça a população, isso é Levante, Insurreição, podem chamar como quiser... PM armado, quem tem arma na mão não pode fazer greve e exibir armas para intimidar, muito menos tentar levar pânico à população como forma de pressão... e eu não não serei refém de quem comete crimes...

O governador não teme um recrudescimento?

Todas as medidas preventivas foram e estão sendo tomadas, a situação já está sob controle e eu não sou um governador que me tornarei refém de servidores com arma em punho. Não sou de bravatas, sou um democrata, mas quem tomar esse caminho da violência vai perceber rapidamente o tamanho do erro...

Mas há um fato evidente, não só na Bahia: as PMs, em especial nas patentes inferiores, são muito mal pagas...

Isso é um fato em quase todo o Brasil, que há essas distorções, mas estou à vontade para afirmar que, em cinco anos, aumentei em até 80% o salário de sargentos e outras faixas e que o salário dos praças teve aumento real acima de 30%.

Quanto ganha um soldado raso na Bahia?

Em aumento que já incorpora a inflação e a ser pago retroativamente a partir deste janeiro, o salário é de R$ 2.300, além de horas extras e outras coisas...

Tenho a informação de que outros governadores estão conversando e, isso é um fato, alguns deles entendem que há outras motivações além dessa do aumento salarial para já...

É evidente que há que se ter uma percepção nacional sobre esses fatos. Já houve no Ceará, houve algo no Maranhão, se diz que há algo marcado para dia 9 no Rio de Janeiro, para o dia 14 no Espírito Santo... não há como não pensarmos que há alguma ligação com outros fatores, fatores que nacionalizam essa questão e essa discussão.

Que fator seria este? A PEC 300, que estabele piso salarial para Polícias e Bombeiros e que está no Congresso?

Bem... você mesmo diz que tem essa informação de que há outras motivações...

A presidente Dilma tem conhecimento dessas informações e situações?

A presidenta Dilma está sempre muito bem informada...

Fonte: http://terramagazine.terra.com.br/ por Bob Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário